ND ENTREVISTA – PE. JOSÉ LENILSON DE MORAIS

Por Agripino Junior, do Nísia Digital.

Está chegando ao fim o período do Padre José Lenilson de Morais à frente da Paróquia de Nossa Senhora do Ó, em Nísia Floresta. Como podemos observar pelas manifestações e mensagens sobre sua saída nas redes sociais e também na rádio, o Nísia Digital decidiu fazer essa entrevista para esclarecer alguns pontos. Na entrevista ele fala sobre vários momentos do período que permaneceu em Nísia Floresta. Confira a entrevista completa abaixo:

Nísia Digital: Quando e como o Senhor recebeu a notícia que estaria sendo transferido para a Paróquia de Nossa Senhora do Ó em Nísia Floresta?

Padre Lenilson: Recebi a notícia que viria para Nísia Floresta, assumir a Paróquia de nossa Senhora do Ó, quando já estava atuando como Vigário Paroquial de Santa Rita de Cássia em Santa Cruz a mais de dois anos e meio. Ao receber a notícia, logo procurei pesquisar sobre a Cidade, a Escritora e a Paróquia. A primeira fonte foi o Nísia Digital (ND), depois o seminarista João Batista me repassou um breve e rico resumo da Paróquia. Fiquei muito feliz e entusiasmado.

ND: Ao chegar em nossa cidade em qual situação o senhor encontrou na paróquia?

PL: Bem, todas as Paróquias teem seus momentos de alto e baixo. Isto é normal na vida da Igreja. A acolhida foi muito fervorosa, mas logo senti que as pessoas estavam meio que “desconfiadas” e até um pouco frias, confesso sinceramente. Havia também algumas pendencias econômico-administrativas, o que me causou muita preocupação, pois era minha primeira experiência como administrador.

ND: Quais os pontos o senhor destacaria no aspecto pastoral e administrativo de seu período aqui em Nísia Floresta?

PL: Esta pergunta poderia ser respondida por cada Comunidade. Não é bom relembrar os próprios feitos, porque, na verdade, tudo só foi possível, graças ao trabalho de comunhão com o Pe. Fábio Pinheiro e a confiança que depositamos em cada conselho das Capelas. Só quero destacar uma coisa, que creio ser o mais importante: as pessoas voltaram a sentir-se mais Igreja. Uma catequista lá de Currais disse uma frase que, para mim, foi a maior recompensa: “perdemos o medo que tínhamos de nos aproximar do sacerdote”.

ND – Como se deu o processo de sua transferência da paróquia de Nossa Senhora do Ó para a de Sant’Ana e São Joaquim em São José de Mipibu, e também da nomeação de Pe Fábio Pinheiro como pároco de Nísia Floresta?

PL: O processo foi algo bem pensado e amadurecido, ao contrário do que se comenta. Não houve precipitação. Meu caro irmão Pe. Fábio já estava pronto para assumir uma paróquia e poderia ser transferido para qualquer outra cidade, mas vendo o seu dinamismo pastoral e sua grande capacidade para lidar com a parte burocrática, vi que seria uma perca para a Paróquia se ele aqui não continuasse. Eu, ao contrário, não me realizo muito tendo que passar horas e horas em meio a papeis, contas, ofícios etc. Por isto, me coloquei a disposição da Arquidiocese, inclusive pensamos que poderíamos apenas trocar a funções, o que teria sido ótimo. Porém, Pe. Valtair Lira Lucas – que estava como Vigário Paroquial em S. José – foi nomeado para Chanceler e Pároco de S. Camilo em Natal. Como São José de Mipibu tem o dobro de capelas de Nísia, fui convidado a ajudar Pe. Matias Soares; sabendo que Nísia ficaria em boas mãos, aceitei de bom grado a nomeação.

ND: Houve alguma cena que o senhor presenciou em nossa cidade e que lhe marcou muito?

PL: Sim. Na verdade, duas ficaram bem presentes. Uma que foi o acidente com fogos que tirou a visão de um olho de nosso irmão José Antônio. Aqui tive dupla experiência: vê-lo caído na praça da Matriz parecia o fim de tudo, mas revê-lo vivo e se recuperando no hospital, no dia seguinte, foi uma prova do amor de Deus e de Nossa Senhora por ele e por nós. A outra cena foi a Carreata dos motoristas de 2011. Nunca tinha visto algo semelhante. Neste dia, vi que havia católicos por toda a parte e eles resolveram sair e mostrar o rosto.

ND: Todos os seus objetivos em Nísia Floresta foram alcançados ou faltou algo?

PL: Nem de perto foram alcançados. Quanta coisa me causou e causa angustia principalmente nas comunidades. Há carência de quase tudo, e nosso povo ainda não é livre. Saio com os questionamentos: o que podíamos ter feito para levar a fé transformadora (não alienante) a este povo de alma tão pura? Como voltarmos a ser comunidades conscientes e lutadores, sem deixarmos de ser Igreja?

ND: Até quando o senhor permanecerá em Nísia Floresta e quando irá ser acolhido em São José de Mipibu?

PL: Permaneço aqui até o dia 30 de abril. De 01 à 12 de maio estarei de férias e serei acolhido em S. José de Mipibu como Vigário Paroquial no dia 13 de maio, dia de Nossa Senhora de Fátima,

ND: O que a comunidade cristã de nossa cidade deve esperar de nosso novo pároco, Pe. Fábio Pinheiro?

PL: Conheço Pe. Fábio desde o tempo de Seminário, inclusive fui seu professor e vice-reitor. Tenho certeza que ele continuará firme nos projetos pastorais, que foram idealizados por nós em plena comunhão como os fiéis leigos. O seu zelo eucarístico, sua dedicação à formação bíblico-doutrinal (por exemplo na Escola da Fé) e sua capacidade administrativa são apenas alguns aspectos que o povo de Deus não só deve esperar, mas já observa no seu futuro Pároco.

ND: Deixe uma mensagem para o povo de Nísia Floresta

PL: Nísia Floresta é rica em natureza, em história, em cultura e na sua fé cristã. Não deixem ser alienados por ninguém. Salvem as lagoas, busquem por seus direitos, cortem a corda de qualquer pessoa que os queiram “encabrestar”. Aprendam das lições passadas e vivam mais unidos na busca dos seus sonhos e ideais que, só se realizarão se superarem as barreiras dos preconceitos e dos “azedumes” do passado. Olho bem aberto para frente. Cristo é a luz! Abri para ele as porta das casas e dos corações.

Publicidade

O que tem a nos dizer?

...

Um comentário sobre “ND ENTREVISTA – PE. JOSÉ LENILSON DE MORAIS

  1. NELSON DE SANTANA DA SILVA

    O Senhor merece muito mais Padre Lenilson pela sua competência neste município que Deus te abençoi neste novo caminho muito obrigado por tudo, uma baraço de nelson de santana da silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *