MITOS E LENDAS DE PAPARY: A PEDRA EXCOMUNGADA

Por Cláudio Marques, professor, graduando em história e colunista do Nísia Digital.

pedra6Após o achado da imagem de Nossa Senhora do Ó, índios, portugueses, africanos e mestiços construíram uma capelinha para abriga a imagem. Com a autorização da construção de uma Igreja, padres capuchinhos começaram a organizar a construção que levaria anos para ser concluída. A areia para fazer “caliça” era trazida da Lagoa de “Boágua”. As grandes e pesadas pedras eram carregadas de uma região chamada Oitizeiro e, retirada do “Morro Grande”, um percurso de vários quilômetros.

Algumas pessoas carregavam as pedras com as mãos ou sobre a cabeça, como forma de penitência ou pelo prazer de contribuir com a obra religiosa. De sol a sol, em um trabalho de formiguinha, muitos crentes se esforçavam para a conclusão da Igreja. Uns tiravam as pedras, outros carregavam, outros davam forma para colocar nas largas paredes da igreja.

Em um desses dias ensolarados de trabalho exaustivo, já no fim da tarde, um trabalhador cansado, ao pegar uma grande pedra, resmungou:

– Que pedra danada de pesada!

O frei capuchinho, que ouviu o murmúrio, disse:

– Excomungo essa pedra por ser amaldiçoada. Ela não fará parte da obra santa de construção desta igreja. Separem-na e que nenhum trabalhador toque nessa pedra.

E assim foi feito: a pedra não foi usada, e depois jogada fora.

Publicidade

O que tem a nos dizer?

...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *