HOMICÍDIOS CRESCEM 360% EM 10 ANOS NO RIO GRANDE DO NORTE

O Rio Grande do Norte é o Estado do Brasil onde o número de homicídios mais cresceu percentualmente em 10 anos, revelou nesta terça-feira (22), o ‘Atlas da Violência’, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Em dez anos, de 2004 a 2014, a taxa de homicídios potiguar teve crescimento de 308,1%.

A evolução da taxa de homicídios é assustadora. Para cada grupo de 100 mil habitantes, o RN tinha uma taxa de 11,3%. O número começou a variar para cima desde então, passando a 13,3% (2005), 14,5% (2005), 31,6% (2011) e 46,2% (2014).

2016-03-22_174802

Foto: Reprodução/Portal IPEA

Em números absolutos, o RN saltou dos 342 homicídios registrados em 2004 para 1.576 em 2014. As estatísticas projetaram o Estado para o 13º com mais assassinatos, superando estados como Santa Catarina, Distrito Federal e Amazonas.

Ainda de acordo com o estudo a região mais violenta do Rio Grande do Norte é a de Macaíba, seguida por perto de Mossoró. Sobre esse critério, o estudo divulgou uma tabela com a taxa de homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes. O número, entretanto, não se refere ao período de 10 anos, mas apenas ao ano 2014, o último de levantamento.

Ao todo, o estudo mapeou no Estado 19 regiões/cidades e, na relação abaixo, aponta a população abrangida e a taxa de homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes:

Confira as regiões e cidades mapeadas:

Chapada do Apodi 76.856 27,9%
Baixa Verde 66.742 25,9%
Borborema Potiguar 141.752 20,9%
Macau 57.338 21,8%
Serra de Santana 63.859 9,8
Agreste Potiguar 245.725 20,6%
Litoral Sul 87.040 29,5%
Angicos 53.139 15,5%
Serra de São Miguel 66.280 14,5
Seridó Oriental 124.256 23,3%
Macaíba 314.915 72,4%
Mossoró 363.615 71,5%
Natal 1.125.134 62,1%
Umarizal 67.467 51,5%
Vale do Açu 150.642 36,8%
Seridó Ocidental 103.723 34,5%
Pau dos Ferros 118.721 19%
Médio Oeste 39.759 33%
Litoral Nordeste 89.882 20%

Por Dinarte Assunção
 Do Portal No Ar

O que tem a nos dizer?

...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *