Música e poesia dedicadas a Nísia

Antes da escritora, Nísia Floresta era apenas Papari, nome colocado pelos índios da região e grafado como Ipapary, que em Português quer dizer lagoa armadilha de peixe. Distante da literatura deixada por sua nativa mais ilustre, o município potiguar é conhecido pelas riquezas naturais. Cachoeiras, bicas, rios, lagoas, praia, vegetação, lendas, povo; tudo isso está cantado nos versos do professor nisiflorestence Eduardo Torres, que lança o livro “Saudades de Nísia – um caderno de música e poesia”, hoje às 19h, na Livraria Siciliano do Midway Mall.


Segundo o autor, o trabalho foi primeiramente idealizado para ser um CD de áudio para gravação em estúdio. Mas hoje está sendo apresentado, como já diz o subtítulo, como um caderno de música e poesia que compila composições bastante ilustrativas, com direito a partituras e cifras, no que diz respeito ao esplêndido retrato cultural e paisagístico de Nísia Floresta.

Eduardo explica que algumas destas composições já foram apresentadas e executadas em eventos, como é o caso de “Uma terra, um olhar, um amor”, embora muitas outras sejam inéditas. Uma particularidade da publicação diz respeito aos personagens inspirados em experiências vividas pelo autor, em vários contextos de socialização. Ele acredita que muitos se sentirão intimamente relacionados ao ler a obra.

Mas um livro que faz uma homenagem às belezas naturais da região, não poderia ser composto sem imagens. Sendo assim, “Saudades de Nísia” traz 50 fotos, cedidas pelo fotógrafo Alex Uchôa. Eduardo lembra que as fotos não sofreram qualquer tipo de retoque digital. Se o leitor observar cada detalhe. “Cada ângulo e cada perspectiva, verá que não se trata de simples efeitos de lentes ou de correções do fotoshop”, disse o autor.

As últimas laudas da obra resumem um estudo sobre a língua Tupi, no qual traz um glossário de expressões, a oração do “pai nosso”, alguns topônimos da terra e uma especulação linguística sobre a real importância dessa língua para o Brasil.

As letras, as partituras e as cifras contidas na obra são o resultado de aproximados catorze anos de composição, apresentadas em um layout diferente que fez bastante uso de teses semióticas para melhor expressar o recado.

Há também muitas particularidades no que concerne aos personagens. A inspiração foi buscada em experiências vividas em vários contextos de socialização. O autor acredita que, ao lerem esta obra, muitos dos nisiflorestences se sentirão intimamente relacionados às e às memórias escritas e cantadas.

Serviço


Lançamento do livro “Saudades de Nísia – um caderno de música e poesia”, de Eduardo Torres. Hoje, 19h, na Livraria Siciliano do Midway Mall. Preço: R$ 20,00



Por Redação da Tribuna do Norte

O que tem a nos dizer?

...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *