I EVENTO DO “ALPENDRE LITERÁRIO” PROMOVE A LITERATURA POTIGUAR

Amante da literatura e dos livros, a professora Rejane Souza não sossega nem em período de férias, a mais nova ideia foi a de reunir um grupo amigos que atuam na literatura e cultura do RN no alpendre de sua residência, que ela denominou “Alpendre Literário”, o que, em princípio parecia somente uma reunião entre amigos para um sarau literário, tomou outras proporções de promoção e valorização à literatura.

Essa percepção foi registrada pelos próprios participantes, como do jornalista, escritor e poeta José de Castro, que recebeu a feliz notícia de que um de seus livros vai figurar no Catálogo FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil) para Feira de Bolonha 2018: “Um evento da mais alta relevância para a literatura potiguar… Acima de tudo, um encontro de pessoas que se importam e lutam pela valorização dos autores e das autoras locais… Que amam o livro, a leitura e todas as possibilidades de transcendência que essa arte nos pode propiciar… Novos encontros acontecerão… Que venham mais interlocutores”, definiu Castro. O depoimento ilustra o clima do que foi o “Alpendre Literário”, que contou com a presença de professoras e formadoras na arte de contar história, Eva Potiguar e Dorinha Timóteo, esta vai representar os contadores de Histórias em Londres.

Além da escritora e artista plástica Conceição Maciel, membro da Academia Feminina de Letras e Artes Mossoroense – AFLAM – Presidente da SPVA – Sociedade dos Poetas Vivos e Afins, Ozany Gomes – presidente da ALAMP – Associação Literária e Artística – Flauzineide Moura- Idealizadora e produtora da I FLINÍSIA e Coletivo Mulherio das Letras de Nísia Floresta – Rejane de Souza. Além de poetas/escritores (a) e articuladores culturais, Rizolete Ferandes, Ivaita Souza, Cláudio Vagner, Barroca, Clécia Santos, Cláudia Borges, Grace, Adélia Costa, Eliety Marry. A repercussão do evento nas redes sociais foi imediata, e a professora Rejane disse que vários amigos da área da literatura já reivindicam uma segunda edição.

“Toda ação que a gente possa realizar para humanizar esse mundo é valiosa”, pois como cita Mia Couto; “eis o que eu aprendi nesses vales onde se afundam os poentes: afinal tudo são luzes e a gente se acende é nos outros. A vida é um fogo, nós somos suas breves incandescências””, resume Rejane sobre o objetivo que move ações, como a do Alpendre Literário.

Confira fotos logo abaixo:

Da Redação / Do Nísia Digital

O que tem a nos dizer?

...

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
error: